versao_portuguesa     english_version
Mensagem inicial
A Junta de Freguesia
Novidades
Fotografias
As aldeias
A nossa gente
Projectos
Património
Indústrias
Educação
Artesanato
Gastronomia
À nossa volta
Associações
Contactos & Links

Cardigos 1







Gracinda Dias

Dedicação à vida e aos outros

Os sábios da vida não possuem a totalidade dos ensinamentos que nos são necessários. A aprendizagem terá de ser constante. Só assim fará sentido viver e levar os dias que nos estão destinados até ao fim.

Dos fracos não reza a história e dos que nada fizeram para reinventar os valores e dons que nos são fornecidos nada há a dizer.

Gracinda Dias não é assim. Fez e continua a fazer do seu tempo de vida uma oportunidade constante. Depois da sua vida profissional dedicou-se à pintura. Escreve, é voluntária, assume lugar nos corpos sociais na Santa Casa da Misericórdia de Cardigos e colabora activamente com o site da Junta de Freguesia de Cardigos.

Pela sua dinâmica e dedicação às coisas e causas, Gracinda Dias é a pessoa do mês de Novembro.no sítio da Junta de Freguesia de Cardigos.

 

Personalidade que mais admira- Bill Gates

Personalidade que menos admira -  Bin Ladden

Maior loucura feita até hoje  - Andar num barquinho que desceu na vertical para a água, no parque temático "Isla Mágica" em Sevilha.

Interesses - Informática, Pintura, Poesia, Leitura e Voluntariado

Livro favorito - Equador

Música favorita - Clássica

Leitura actual - "Vive quem pensa"  de Nunes dos Santos 

O que mais adora  - Internet

O que mais detesta - hipocrisia

O  que nunca faria - odiar

Destino de eleição - Brasil

Gracinda Tavares Dias nasceu no dia 7 de Agosto de 1943, no lugar de Chaveira.

Fez os seus estudos primários na Escola Primária da Chaveira, onde a professora Conceição Tavares, de Cardigos, logo lhe despertou o gosto pelo desenho e pintura.

Ingressou no Externato D. Pedro V de Mação, onde completou o antigo 5.º ano e continuou a mostrar interesse pelas artes plásticas.

Seguiu para a Escola do Magistério Primário de Portalegre onde se formou em Professora do 1.º ciclo do Ensino Básico, em 1965.

Após 12 anos de ensino em Moçambique, regressou e, em Vilar Formoso, onde passou a trabalhar, completou o 12.º ano. Frequentou o 3.º ano de Direito em Coimbra, como trabalhadora estudante.

Depois da aposentação, em 1996 e ainda em Vilar Formoso, frequentou durante 6 anos, uma Escola de Pintura em Fuentes de Oñoro, fronteira espanhola sob orientação do professor espanhol Francis.

Em 2003, começou a frequentar a Escola de Pintura " Lápis de Cor" da Câmara Municipal de Mação, desta feita sob a orientação do professor italiano Massimo Esposito.

Aos 67 anos, Gracinda Dias afirma que “sente um grande prazer por realizar as mais variadas actividades”, entre as quais está incluída a pintura em variados materiais, como telas, vidro, madeira, gesso, marfinite, tecido.

As artes manuais não se ficam por aqui e também gosta de fazer bordados, como arraiolos, bordado de Castelo Branco, ponto de cruz, ponto Jugoslavo, richelieu, bainhas abertas, macramé, e trabalhar o estanho, em alto e baixo relevo. Gracinda Dias gosta de pintar paisagens, naturezas mortas, monumentos, casas de habitação, retratos, profissões, entre outros temas, dependendo do que lhe chama mais à atenção ou do que sente no momento em que escolhe o tema. As técnicas utilizadas também variam entre o óleo, o acrílico, o pastel seco, o pastel de óleo e o carvão.

Foi em finais de 1997, após a sua aposentação que descobriu o gosto pela pintura, ao ingressar numa Escola de Pintura em Fuentes de Oñoro, fronteira espanhola com Vilar Formoso onde, na ocasião vivia. “Com o mestre espanhol adquiri muitos conhecimentos e o prazer de pintar e conviver”, diz sem hesitar. E é com a mesma certeza que confessa que “quando pinto sinto uma felicidade imensa. Abstenho-me dos problemas da vida e dedico-me de alma e coração à tela. Gosto do resultado mas mais ainda do prazer de pintar”.

Além de fazer os referidos trabalhos, esta artistas dinamiza, desde 24 de Outubro de 2004” um grupo de Artes, em Partilha de saberes e convívio, na antiga Escola da Chaveira. Como o próprio nome indica, o convívio é a imagem de marca deste grupo que, com espírito de camaradagem leva fora de portas o nome da sua terra.

Como se tudo isto não bastasse a dinâmica escreve-se também em palavras. Na poesia descansa ainda mais o seu espírito que converte em acções de voluntariado “que muito me encanta”. Toda a história deste grupo de voluntariado pode ser vista no flickr centro cultural.

É através de Gracinda Dias que o grupo de artista faz intercâmbios, por exemplo com a Misericórdia de Cardigos e Escola Viva dos Vales, destacando-se quermesses diversas e a Feira Mostra de Mação deste ano.

Gracinda Dias assume ainda a secretaria da Santa Casa da Misericórdia de Cardigos e é com redobrado orgulho que, depois de todos estes anos de vida intensa, confessa que dessa intensidade vivida retira ensinamentos de felicidade e solidariedade. Dessa vida diz ter aprendido com os erros e seguido sempre em frente. Aos críticos desconstrutivos responde que não se deve desanimar com as críticas desfavoráveis, mas sim “aprender e ensinar constantemente”.






Infra-estrutura e alojamento por datagen.eu